Imprensa Reflexão

Perspectiva – Jornal Diário da Manhã

3d rendering of a sea of umbrellas
Escrito por Lara

Este texto foi publicado no Jornal Diário da Manhã aos 02 de fevereiro de 2015.
Clique aqui para acessar o link.

A

Pessoas gordas. Detesto pessoas gordas. Enquanto caminho pelo fórum, com uma guia para pagar e um protocolo para fazer, vejo gente gorda, suada e feia. Passo por uma mulher de “short” floral. “Short” curto e floral dentro do fórum, que inapropriado! Não dá outra: gorda

Um homem com nariz adunco e cheiro de queijo esbarra em mim e deixa vários papéis caírem no chão. Um desleixo, nem para andar com uma pasta para colocar essa papelada. Ao lado dele, uma mulher de aparelho nos dentes mastiga um chiclete de boca aberta, superdeselegante. A dupla é bem brasileira mesmo: desleixada e sem educação.

Começo a passar pela porta giratória do banco e ela se trava por causa da minha bolsa. Palhaçada… e eu tenho cara de bandida? Estou bem-vestida, limpa e me porto bem. O segurança pede para revistar minha bolsa: “senhora, posso dar uma olhadinha?”, diz ele apontando para minha Louis Vuitton. Homenzinho atrevido e sem jeito. “Dar uma olhadinha”, quem diz isso, pelo amor de Deus? É por isso que vai ser segurancinha de banco para sempre, com esse uniforme sem passar e marcas de suor nojentas embaixo do braço. Fora o buço suado. Eco!

Pego a senha e aguardo. As cinco pessoas à minha frente demoram meia hora para ser atendidas. Céus, meia hora para dois caixas atenderem cinco pessoas. É muita incompetência! Quando chega minha vez, acho o atendente bonito. Tento flertar com ele, pergunto as horas, dou um sorriso, mas ele me responde secamente. Reparo que tem aliança na mão esquerda. Uma aliança grossa e bonita. É muita falta de senso mesmo. Gente pobre tem mania de ostentação. Por que não pagou algumas prestações da casa própria em vez de comprar essa belezura? Penso imediatamente em polir minha aliança, que já está meio suja. Penso em meu marido incompetente e o quanto é desmazelado com sua aliança. Preciso doutriná-lo melhor. Despeço-me do caixa achando-o menos bonito. Acho que são as rugas prematuras brotando na testa. Nem deve usar protetor solar.

Está fazendo um calor de matar quando entro no protocolo. Odeio esse calor e penso que, em pleno século XXI, não haja aparelhos condicionadores de ar espalhados por todo canto.

Faço o protocolo e reparo que o atendente não sabe em que parte da folha colocar a chancela. Credo, Deus, preciso orar mais por tantos bastardos no mundo. Vou-me embora deste inferno para casa.

B

Chego ao fórum com uma guia para pagar e um protocolo para fazer. Estou com muito calor! Assim que entro no prédio, vejo uma garota com um “shortinho” floral. Realmente, seria bem mais bacana se esse fosse o traje oficial de trabalho no Brasil, dadas as temperaturas! Talvez, um pouco mais de comprimento, mas sem dúvida uma coisa leve desse tipo.

Eu, apressada, encontro outro advogado também corrido e acabamos trombando um no outro, levando as petições dele ao chão. Ele cora e pede desculpas. Vejo que é novinho, deve estar começando agora. Ajudo-o a catar a papelada e ele agradece, tímido. A mocinha ao lado dele é jovial e alegre e comenta sobre a situação com humor, o que faz nós três darmos risadas. Acabo saindo com o currículo dos dois, que estão desejando mudar de escritório. Descubro que são articulados e têm um bom histórico de estágios, além de simpatia. Poderão ser úteis!

Fico presa na porta giratória do banco e o segurança pede para verificar minha bolsa, muito educadamente. Vejo seu nome no crachá e comento que era o nome do meu avô, Antônio, um nome muito bonito. Ele agradece sinceramente e me oferece a senha de uma pessoa que havia desistido de esperar na fila. Por sorte, já é a próxima. Oba!

Sou atendida rapidamente por um caixa bastante profissional, que faz tudo com destreza. Reparo sua aliança de bom gosto e comento que estou querendo trocar a minha e a de meu marido, que já estão velhinhas. Peço a dica de onde ele comprou. Cartier. Uau!! Acabo sabendo que ganhou quarenta mil reais na loteria e decidiu presentear a si mesmo e à esposa com algo que simboliza o amor e o companheirismo dos dois. Saio inspirada do banco.

Está fazendo muito calor quando saio e já começo a programar com a família e alguns amigos para irmos ao clube no fim de semana! Tempo ótimo para a dupla água e sol.

Ao entrar no protocolo, vejo que o rapaz coloca a chancela em um lugar diferente do usual. Indago o porquê e ele me conta que às vezes as folhas estavam sendo perfuradas bem em cima do número de protocolo. Mudança bacana, penso.

Vou-me embora sonhando com a nova aliança e um fim de semana gostoso no clube.

Tudo na vida é uma questão de perspectiva. É só escolher qual a sua.

Deixe seu comentário

2 comentários

  • Esse foi o primeiro texto seu que li, e agora, pensando bem, acho que foi justamente a síntese dele a culpada por toda minha admiração por você.
    Muito me identifico, e gosto de ver as coisas assim, por vários ângulos, entendendo, de certa forma, a individualidade de cada um…
    Seu site ficou sensacional, nos faz rir, pensar, aprender, refletir, e principalmente crescer!! Quanta versatilidade e competência em uma pessoa só Lara. Você é admirável!

    • Karynne, a cada comentário seu, me sinto mais privilegiada por pode escrever algo que lhe agrade, já que foi pela escrita que tive o prazer de te conhecer. Muito obrigada, querida. Espero continuar te agradando com meus escritos! Um beijo grande!